PINTO BANDEIRA: você PRECISA conhecer a Cave Geisse!

Não é dica, é uma CONVOCAÇÃO: você precisa conhecer a vinícola Cave Geisse, em Pinto Bandeira. Não apenas porque a vinícola é a única brasileira a ter um vinho na lista dos 1000 vinhos para beber antes de morrer, nem porque teve um espumante eleito o melhor do Brasil pelo Guia Descorchados, ou ainda, porque a Master of Wine Jancis Robinson incluiu a Geisse em sua lista das 10 vinícolas que podem ser o futuro do vinho no MUNDO (OK, estes já são bons motivos para você conhecer a Geisse): você precisa visitar a Geisse, pois ela tem uma história impressionante e inovadora no mundo do vinho.

Cave Geisse
A sede da vinícola está localizada na Linha Jansen, em Pinto Bandeira

Eu poderia ficar aqui escrevendo por horas sobre cada detalhe da história contada durante a recente visita que fiz a Cave Geisse, mas vou resumir (até porque, depois deste post, você vai ir pessoalmente ouvi-la): o enólogo e engenheiro agrônomo CHILENO, Mario Geisse, chegou pelas “bandas” de Bento em 1979 para dirigir a divisão nacional da Moët & Chandon.
Cave Geisse
O enólogo, pesquisador e fundador da vinícola, Mario Geisse

Logo de cara, ele percebeu que aqui existia um grande potencial para a produção de espumantes.
Na época, ele começou a fazer inúmeras visitas a diferentes regiões, observando, especialmente, o solo. Quando chegou em Pinto Bandeira, impressionou-se com a altitude (800 metros), com a excelente drenagem (resultado do solo de argila e rochas de origem vulcânica em decomposição), pela ótima exposição solar, dentre outros fatores que faziam a região ter um terreno único em todo o mundo. Na época, de tanto passar por aquelas terras, o Mario Geisse era chamado pelos moradores de “louco chileno”. hhahahha
A Cave Geisse foi a prioneira no Brasil no método espaldeira
A Cave Geisse foi a prioneira no Brasil no método espaldeira

Convencido que lá seriam feitos excelentes espumantes, adquiriu 76 hectares de terra e demarcou apenas 23 para o plantio dos vinhedos em virtude das suas características excepcionais. O restante da área foi preservada com a mata nativa, o que ajuda a imprimir características únicas aos clássicos espumantes.
Cave Geisse (1)
Detalhes das caves onde estão armazenados os espumantes

Geisse foi o primeiro da região a plantar no método espaldeira (quando a videira fica exposta verticalmente – como uma cerca), também foi o pioneiro em pesquisas de solos, e trouxe a artesanal técnica de produção de borbulhas, o método tradicional.
Daniel Geisse, filho de Mário Geisse e também enólogo, é um dos três herdeiros da vinícola
Daniel Geisse, filho de Mário Geisse e também enólogo, é um dos três herdeiros da vinícola

O resultado de seus testes deu tão certo, que ele fundou ali sua vinícola boutique Cave Geisse, que atualmente produz os melhores espumantes do Brasil. O “loco chileno” até hoje tem métodos inovadores e que traduzem o sucesso da marca: os vinhedos da vinícola são conduzidos de maneira sustentável, a colheita é MANUAL e a terra não é tratada com nenhum tipo agrotóxico. O controle de pragas é feito através de uma máquina que lança um jato de ar a 130ºC e com velocidade de 200 km/h, chamada de Thermal Pest Control (TPC). Além disso, há um controle de qualidade em TODO o processo de produção, que são acompanhados de perto por sete enólogos.
Acho que eu não consegui resumir tanto! Hahahhaah É que quando a história é interessante, é difícil ser objetiva!
 
Passeio de 4X4
Bom, além de uma história incrível e de conhecer todo o processo de produção de espumantes, a Cave Geisse também oferece diferentes experiências.
 
Passeio a bordo de um 4X4 passa pela mata nativa
Passeio a bordo de um 4X4 passa pela mata nativa

Uma das mais legais é a Geisse Experience: um passeio a bordo de um 4X4 para conhecer os vinhedos, degustar espumantes e se impressionar com a beleza da região.
Degustação de espumantes é feito em meio a mata, ao lado de um riacho
Degustação de espumantes é feita em meio a mata, ao lado de um riacho

O passeio, que dura em torno de uma hora e meia, percorre uma trilha em meio à mata nativa e faz uma parada estratégica no “Espaço Zen”. O local é muito legal: um deck construído ao lado de um riacho, onde os visitantes degustam espumante ao som da água dançando pelas pedras e dos pássaros cantando. Aliás, os sons ficam ainda mais marcantes, pois o guia propõem que todos fiquem em silêncio por três minutos. É revigorante.
Cave Geisse (150)
Logo após, seguimos a trilha, passando entre as videiras. Este momento é realmente especial, pois a beleza impressiona. A próxima parada é em uma ampla área verde, onde os visitantes são recebidos com mais brindes e tem uma vista incrível de praticamente toda a produção.
 
Cave Geisse (148)
É ou não é uma vista inspiradora?

Cave Geisse (54)
Cave Geisse (73)
A gente sempre está de olho em todos os detalhes
A gente sempre está de olho em todos os detalhes

Esta experiência custa R$ 100 por pessoa ou R$ 350 para cinco pessoas.
Espaço com vista aos vinhedos
Espaço com vista aos vinhedos

 
Open Lounge Geisse
Outra experiência muito legal da vinícola é o espaço Open Lounge Geisse, que ocupa o lindo jardim da casa. No local, além de mesas e cadeiras, há almofadas, edredons e tapetes distribuídos no gramado, formando um charmoso piquenique.
Almofadas, tapetes, mesas e cadeiras estão espalhados pelo jardim
Almofadas, tapetes, mesas e cadeiras estão espalhados pelo jardim

A casa oferece para comer, mini empanadas chilenas (DELICIOSAAAAAS), nos sabores carne, queijo, frango, espinafre e gorgonzola com cebola. A porção com seis unidades custa R$ 35.
Cave Geisse (6)
Empadas chilenas são os carros-chefes do espaço

O cardápio ainda contempla a “Tábua Aperitivo”, que vêm com presunto serrano espanhol curado por 12 meses, queijo tipo pecorino toscano de 180 dias de maturação e 0% de lactose, mix de quatro grãos sem sal e geleia de pimenta artesanal, pelo valor de R$ 70.
Cave Geisse (106)
Outras opções são tapas de truta defumada, pelo valor de R$ 40, de patê de bacalhau ou salmão, por R$ 35, e de queijo de ovelha e pebre chileno, por R$ 20. Todos os tapas são acompanhados por bolachas artesanais.
Cave Geisse (108)
Na parte de doces, as opções são miniempanadas de maça com canela, pelo valor de R$ 30 a cada seis unidades, tortinha de maça, por R$ 20, e brownie com sorvete de creme e creme de avelã, por R$ 20.
Cave Geisse (120)
Já para beber, o espaço oferece drinks especiais de R$ 15 a R$ 25, suco por R$ 7, e água e café por R$ 5.
Já os espumantes Cave Geisse são vendidos em taças, de R$ 15 a R$ 38, e em garrafas, de R$ 40 a R$ 150.
 
Visita e degustação
A Cave Geisse também oferece visitas com degustação, que variam de R$ 30 a R$ 80. O ideal é sempre agendar.
A Cave Geisse está localizada na Linha Jansen, s/n, em Pinto Bandeira, Rio Grande do Sul. (do ladinho de Bento Gonçalves)
Telefones: 54 3455.7461 / 3455.7462
Site: www.cavegeisse.com.br
 
*O blog NA CARONA DA QUEL foi um dos veículos convidados para a Press Trip da Vindima promovida por algumas vinícolas da Serra Gaúcha, e operacionalizada pela ConceitoCom Brasil. Nos próximos dias, outros posts vão mostrar um pouco da força e qualidade do enoturismo desta região.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

POsts relacionados