VINHOS DO BRASIL: saiba quais são os 16 vinhos mais representativos da safra 2017

Oi, gente! Como vocês estão?
No último sábado, dia 23 de setembro, participei pelo segundo ano consecutivo da Avaliação Nacional de Vinhos e, como sempre, foi uma experiência inesquecível.

Fotos: Jeferson Soldi
Fotos: Jeferson Soldi

O evento é nada mais nada menos que a maior degustação de vinhos de uma safra do MUNDO. Cerca de mil pessoas de todo o Brasil e do exterior degustam as 16 amostras mais representativas de vinhos brasileiros da Safra 2017.
Mas, Quel, como funciona a escolha dos 16 vinhos? FUNCIONA ASSIM: vinícolas de todo o Brasil inscrevem suas amostras – neste ano foram 327, de 59 vinícolas, de seis estados brasileiros (Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) – , e elas são degustados ÀS CEGAS por 118 ENÓLOGOS, que seguem normas internacionais de degustação sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho. Neste ano, foram necessários oito dias para que todas as amostras fossem analisadas.
AVALIAÇÃO - enologos
Depois disso, são selecionadas 30% das amostras mais representativas da safra (103 vinhos) e, destes, 16 são escolhidos para representar a safra e serem degustadas pelo público de mais de MIL apreciadores de vinho.
O nome dos vinhos selecionados é mantido em segredo até o dia do evento e revelado no final da degustação, em um clima de muita expectativa, emoção e euforia!
LEGAL, NÉ? =D
O evento é realizado, de forma impecável, há 25 ANOS pela ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENOLOGIA (ABE). Todo o suporte de informações e organização é feito pela equipe da ConceitoCom Brasil. (Valeu por tudo, Lucianara Masiero!)
JS5_7707
Falando em ConceitoCom, a agência mandou alguns números curiosos da 25ª AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS – SAFRA 2017:
– Amostras inscritas: 327
– Vinícolas participantes: 59
– Time da Degustação de Seleção: 118 enólogos
– Participantes: 850 apreciadores de sete países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Itália, Japão e Uruguai). Do Brasil, compareceram enófilos de 10 estados ((Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além do Distrito Federal.
– Painel de comentaristas: 15 convidados de quatro países Argentina, Brasil, Itália e Japão) e um apreciador sorteado entre o público (Odila Armbruster de Moraes –SBAV-SP).
– Serviço do vinho: 105 alunos dos cursos de Viticultura e Enologia do IFRS – Campus Bento, IFSC – Campus Urupema e Unipampa.
– Amostras degustadas: 16
– Garrafas servidas: 1.440 (90 de cada)
– Em 25 edições, 16.317 apreciadores e 5.849 amostras.
 
JS5_7916
Mas vamos ao que interessa: a lista de vinhos mais representativos da Safra 2017 e que, muito em breve, estará no mercado:
Categoria Vinho Base para Espumante
Chardonnay/Riesling Itálico – Chandon, de Garibaldi (RS)
Chardonnay – Casa Valduga, de Bento Gonçalves (RS)
Chardonnay – Domno do Brasil, de Garibaldi (RS)
 Categoria Branco Fino Seco Não Aromático
Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora, de Bento Gonçalves (RS)
Chardonnay – Vinícola Almadén, de Santana do Livramento (RS)
Chardonnay – Vinícola Cave de Pedra, de Bento Gonçalves (RS)
Categoria Branco Fino Seco Aromático
Sauvignon Blanc – Vinícola Fazenda Santa Rita, de Vacaria (RS)
Moscato Giallo – Cooperativa Vinícola São João, de Farroupilha (RS)
Categoria Tinto Fino Seco Jovem
Cabernet Franc – Vinícola Salton, de Bento Gonçalves (RS)
Categoria Tinto Fino Seco
Petit Syrah – Luiz Argenta Vinhos Finos, de Flores da Cunha (RS)
Merlot – Casa Perini, de Farroupilha (RS)
Merlot – Miolo Wine Group, de Bento Gonçalves (RS)
Cabernet Franc – Giacomin Indústria de Bebidas / Vinhos Hortência, de Flores da Cunha (RS) Malbec – Vinícola Almaúnica, de Bento Gonçalves (RS)
Cabernet Sauvignon – Guatambu Estância do Vinho, de Dom Pedrito (RS)
Tannat – Don Guerino Vinhos e Espumantes, de Alto Feliz (RS)
 
Agora vai a lista dos vinhos que EU mais apreciei:
Sauvignon Blanc – Vinícola Fazenda Santa Rita. Vinho branco, superaromático, com aromas de maracujá maduro, e, em boca surpreende. Retrogosto incrível. Achei a acidez do sauvignon blanc bem refrescante, bom pra ser apreciado no verão que está chegando. Pra mim, foi o vinho mais marcante da avaliação. Aliás, de forma geral, os vinhos brancos foram os que eu mais apreciei.
 
Petit Syrah – Luiz Argenta Vinhos Finos: foi a surpresa da avaliação. Este tinto da Luiz Argenta apresentou, no nariz, notas de frutas vermelhas, amora, cassis, cereja e de especiarias, como cravo, baunilha… Em boca, se mostrou equilibrado e intenso, com leve gosto adocicado, taninos marcantes, boa acidez e estrutura. É aqueles que vinho que a gente quer ter na adega.
 
Tannat – Don Guerino Vinhos e Espumantes.  A vinícola tem conquistado meu coração nos últimos meses (tenho degustado excelentes rótulos). Na avaliação, o tannat da Don Guerino fechou as degustações com chave de ouro: vinho tinto com aromas de boa intensidade, em boca apresentou boa estrutura e acidez bem equilibrada e taninos elegantes e macios. É um ótimo vinho pra acompanhar a evolução, já que é um tannat de muita personalidade – taninos volumosos e acidez boa pra envelhecer. Adorei.
 
É isso, pessoal! Espero que tenham gostado de saber um pouco sobre esta maravilhosa experiência.
Eu, meus amigos e colegas do curso de Sommelier, promovido pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS - RS) ( agrande responsável por todo o aprendizado, curiosidade e paixão que tenho pelo mundo dos vinhos)
Eu, meus amigos e colegas do curso de Sommelier, promovido pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS – RS) ( a grande responsável por todo o aprendizado, curiosidade e paixão que tenho pelo mundo dos vinhos)

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

POsts relacionados